Translate

domingo, julho 07, 2013

Breve Síntese do Conflito Racionalismo x Empirismo


Introdução: _A disputa entre o racionalismo e o empirismo diz respeito à medida que somos dependentes da experiência sensorial em nosso esforço para ganhar conhecimento. Racionalismo e empirismo se opõem em posições dentro da epistemologia. O racionalista acredita que a razão pura (Razão independente da experiência) pode produzir conhecimento informativo, o conhecimento (de alguns aspectos) do mundo, e não apenas das relações entre os nossos conceitos. Tal conhecimento racional é nomeado, a priori, para indicar que é antes e independente da experiência. As marcas características de um conhecimento a priori são universal. Empirismo é a negação do racionalismo. O empirista insiste que todo o nosso conhecimento informativo, todo o nosso conhecimento do mundo, é derivado da experiência. Os racionalistas afirmam que há formas significativas em que os nossos conceitos e conhecimentos são obtidos de forma independente da experiência sensorial. Os racionalistas compartilham a visão de que há conhecimento inato,afirmando que nascemos com a competência para articular nossa inteligência com os princípios racionais, como também, aptos para pensar ideias verdadeiras, sendo assim, são idéias inatas. O empirismo, ao oposto, assevera que a razão, em sua fundamentação, bem como as ideias, são adquiridas por meio da experiência. Empiristas afirmam que a experiência sensorial é a melhor fonte de todos os nossos conceitos e conhecimentos. Racionalistas geralmente desenvolvem a sua visão de duas maneiras. Primeiro, eles argumentam que há casos em que o conteúdo de nossos conceitos ou conhecimento ultrapassa a informação de que a experiência dos sentidos pode proporcionar. Em segundo lugar, eles constroem relatos de como razão de alguma forma ou de outra determina as informações adicionais sobre o mundo._________
Racionalismo: ___Compartilham a visão de que há o conhecimento inato,  diferem em que eles escolhem diferentes objetos de conhecimento inato. Platão é um racionalista, porque ele acha que não temos conhecimento inato das Formas [objetos e conceitos matemáticos (triângulos, igualdade, grandeza), os conceitos morais bondade, beleza, virtude. Já Descartes pensa que a ideia de Deus, ou perfeição e infinito, e o conhecimento é próprio da existência e inato. Leibniz, Articula que os princípios lógicos são inatos. Para o racionalismo a razão é o fundamento  do conhecimento. O conhecimento sensível é considerado enganoso. Por isso, as representações da razão são as mais exatas, e as únicas que podem conduzir ao conhecimento logicamente necessário e universalmente válido.A razão é capaz de conhecer a estrutura da realidade a partir de princípios puros da própria razão. A ordenação lógica do mundo permite compreender a sua estrutura de forma dedutiva. O racionalismo segue, neste aspecto, o modelo matemático de dedução a partir de um reduzido número de axiomas. Os racionalistas partem do princípio que o sujeito cognoscente é ativo e, ao criar uma representação de qualquer objeto real, está a submetê-lo às suas estruturas ideias.O racionalismo filosófico engloba várias vertentes de pensamentos, os quais geralmente compartilham a convicção de que a realidade é na verdade, de natureza racional e que as deduções adequadas são essencialmente para alcançar o conhecimento. Essa lógica dedutiva e o uso de processos matemáticos fornecem as ferramentas metodológicas principais. Assim, o racionalismo tem sido muitas vezes realizado em contraste com empirismo. ___Empirismo:
 É conhecido como a oposição ao racionalismo e considera a experiência como a única fonte conhecimento válido. Só o conhecimento sensível nos coloca em contato com a realidade. Dada esta característica, os empiristas tomam as ciências naturais como o tipo ideal da ciência, uma vez que é baseado em fatos observáveis. Para o empirismo a experiência é a sustentação de todo o conhecimento, no entanto possui  seu limite. Os empiristas recusam a existência de ideias inatas, como defendia Platão e Descartes. A mente está vazia antes de receber qualquer tipo de informação proveniente dos sentidos. Todo o conhecimento sobre as coisas, mesmo aquele em que se elaboram leis universais, provém da experiência, por isso mesmo, só é válido dentro dos limites do observável. Empirismo é uma crítica do racionalismo sob a suposição de que a razão tem natureza ilimitada, e até mesmo o próprio processo irracional pode produzir qualquer tipo de conclusão. A razão em si não tem base e opera a partir de suposições. Conhecimento válido, portanto, só considerada adquirida através da experiência. Os principais representantes dessa filosofia são: Bacon, Hobbes, Newton, Locke e Hume Berkelery. Destes, Bacon e Newton trabalhou principalmente no campo das ciências naturais. Pensamentos empiristas compreendidos por tudo o que é o objeto do conhecimento, Locke incluem percepções, enquanto Hume. Tanto Locke e Hume aceitaram subjetivismo argumentam que o conhecimento e a realidade realmente não sabem apenas idéias sobre isso. ___Empirismo e suas posições : • Estuda os acontecimentos e experiências. • A fonte principal e última são: a percepção, intuição, no sentido da ordem. • Nega a possibilidade de idéias espontâneas. • Assume que todo o conhecimento é baseado na experiência. • Destaca o significado da experiência, especialmente no sentido de percepção. • É necessário a observação (sentidos) para dar certeza do conhecimento. • Examina, confirma ou nega a hipótese. • O que determina se o conhecimento é válido ou não, está no caminho da construção. • Principais Representantes: John Locke, David Hume, e Francis Bekerley Bacun. __Racionalismo suas posições: • Estuda as entidades abstratas que só existem na mente humana. (Conceito) • A principal fonte e teste final de conhecimento (raciocínio dedutivo), com base em princípios claros e axiomas (princípio básico é aceito como verdadeira sem prova alguma). • Ele afirma que a mente é capaz de reconhecer a realidade através da sua capacidade de raciocinar. • Sistema de pensamento que enfatiza o papel da razão na aquisição do conhecimento. • Ela é expressa por meio de conceitos lógicos e sistemáticos que são agrupados teorias. • Demonstrar ou provar. • O conhecimento vem depois da dúvida e encontrar um princípio evidente uma verdade clara e distinta.
Principais Representantes: René Descartes, Spinoza, Leibniz, e Kant. Contudo, em função da complexidade entre Racionalismo x Empirismo, Kant tentou uma saída para o conflito no âmbito do  racionalismo e  empirismo. Kant conceitua que conhecimento racionalista repousa sobre as coisas puramente de ordem lógica. E no conhecimento empírico, afirma que as experiências empíricas, são acessíveis para  a construção do conhecimento. Desse modo a filosofia Kantiana, propunha que: tanto o Racionalismo como o Empirismo tem sua validade de verdade. O primeiro no que diz respeito que o conhecimento é de ordem racional, e o segundo, no que assevera que o conhecimento é experiencial, todavia Kant afirma haver composições prévias no sujeito, quais são estruturas e cognitivas de modo à priori, e que, contudo, só se concluíam com a experiência, a posteriori. Mas isso tornou a filosofia de Kant mais tensa e complexa...
_Conclusão: O racionalismo assevera que a razão pura (a razão sem influência dos sentidos empíricos) é a maior (única) fonte do conhecimento, sendo que o empirismo, ao contrário, afirma que todo o conhecimento é contraído pelos sentidos empíricos.
 Copyright André Assis. Todos os direitos reservados...

8 comentários: